segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Tempo...

Tempo

Dou-te o tempo,
dou-te o vento,
dou-te as asas
de um momento.
Dou-te a terra,
dou-te a enxada,
dou-te as mãos
pela alvorada.
Dou-te o frio,
dou-te a chama,
dou-te o fogo
de quem ama.
Dou-te a sede,
dou-te o vinho,
dou-te o cacho
de um carinho.
Dou-te a fome,
dou-te o pão,
dou-te a espiga
de uma paixão.
Dou-te a noite,
dou-te a luz,
dou-te o brilho
que me seduz.
E quando nada mais
tiver para te dar,
ficarei à tua espera
com tempo p’ra te amar.

2 comentários:

Maria Fernanda disse...

Nas férias temos mais tempo... para aqui vir e apreciar estas preciosidades.

Parabéns.

Prof. Máximo Afonso disse...

"Dou-te a terra,
dou-te a enxada,
dou-te as mãos
pela alvorada."

Torga não desdenharia :):)

Boas férias