sábado, 24 de novembro de 2007

Mantendo o Espírito Natalício...

Uma História de Afectos

Tive um sonho branco e breve:
Éramos dois bonecos de neve,
Criados por uma criança
Que mantinha a doce esperança
De construir um Mundo igual...

Nada em nós era diferente.
Nascidos de um mesmo ventre,
Dois clones, a mesma alma,
Que com ternura e com calma
A criança sonhou real.

Os mesmos olhos e narizes
Que, durante o dia, felizes,
Partilhavam sensações...
Das crianças, as emoções,
Gargalhadas de cristal!

Numa tarde de sol quente,
Um raio inconsequente
Transformou-nos em fria água:
Eram lágrimas de dor e mágoa,
Era o nosso adeus final...

Mas um dia que ainda lembro,
(Um doirado final de Setembro),
Encontrámo-nos frente a frente
Tudo em nós era diferente...
Só o sorriso era igual...

O tempo passou com afinco...
E, no ano de dois mil e cinco,
Um puro jogo de afectos
Tornou-nos Amigos Secretos,
E fez-se, de novo, Natal.

Profª Mª João Marques

1 comentário:

Prof. Maximo Afonso disse...

Os meus sinceros parabéns à colega Maria João pela brilhante História de Afectos aqui postada. Aposto que é uma emérita poetisa.
Afectuosos cumprimentos.