terça-feira, 29 de julho de 2008

Amigo é...

Amigo

Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!
«Amigo» é o erro corrigido,

Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

Alexandre O’Neill
(Poema enviado por um Amigo)

1 comentário:

Prof. Eleutério disse...

Este lisboeta de nascimento mas de família amarantina faz parte das minhas lembranças de juventude quando passava alguns dias de férias em casa de familiares seus naquela cidade do Tâmega.

Por isso, foi bom recordar este poeta do "absurdo" e um dos percursores do surrealismo.