quinta-feira, 27 de novembro de 2008

A Tristeza...

A Tristeza

Nada do que me dizem
Me traz alegria.
Eu só queria ter no mato
Um gosto a framboesa.
Para percorrer entre os canteiros
E esconder a tristeza
E deixemo-nos de coisas
Cuidemos da vida.
Pois, se não o fizermos,
Chega a morte
Ou coisa parecida
E arrasta-nos novos
Sem termos a oportunidade
De dizer:
“Amo-te”
Em vida.

Roseira do Teu Jardim (8ºB)

4 comentários:

Prof. António disse...

Parabéns "Roseira"!

Continua dar-nos destes "botões" :)

CLUBE DAS LÍNGUAS VIVAS disse...

Boa noite, Roseira!

Parabéns! O poema está lindo!!!

E como é importante dizer "amo-te"... antes que seja tarde de mais...

Profª Matilde disse...

Nunca é tarde de mais para dizer "amo-te". Nem qualquer "amo-te" é demais...

Anónimo disse...

Olá Roseira

Mais uma vez os meus parabéns. Está lindo.
Mas deixa-me confessar-te que não acredito nos 2 primeiros versos, porque os 2 últimos já tu ouviste muitas vezes, de certeza, e são estes que vão retirando os "espinhos"das tuas rosas e que te vão trazendo alegria.

Um beijinho da tua ex-professora Margarida Rita.