quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O Essencial é Invisível para os Olhos...

Observo as estrelas


Encontro nelas uma paz

Sento-me a pensar na vida

Sempre a olhar para as estrelas

Estrelas que brilham suavemente

No meu coração entra uma brisa de felicidade

Consigo senti-la

Invisível é aquilo que estou a sentir

Algo me tranquiliza

Longe está o meu pensamento.



É a vida que me ocupa o pensamento.



Incrível é o sentimento

Ninguém o consegue ver

Visível para o coração

Invisível para os olhos

Sentimento que gosto de sentir

Independente me sinto, é como

Velejar pelo oceano e

Encontar nele uma ilha deserta

Longe de tudo e todos.



Passageiro é o que sinto

Algo que começa

Reencontra-se a felicidade

Alcança-se um sentimento bom



Olhando para as estrelas

Sentimento que não dura sempre


O sentimento que acaba por desaparecer

Longe não o quero ter

Há sempre em mim o desejo de o sentir

Olho para as estrelas

Sempre que precise de o sentir novamente.


Jéssica Pinheiro, nº8, 9ºC

5 comentários:

Catarina disse...

Está Lindo!!!

Manda mais!!!

Anónimo disse...

oi Jéssica!!!
Tens muito jeito para escrever poemas.
Parabéns!!!
Continua assim...

Beijos

Paulo Alves disse...

Jéssica, continua a olhar para as estrelas e a encontrar nelas a paz, a tranquilidade e todas as coisas boas de que necessitas para ser feliz!
Parabéns!

CLUBE DE LÍNGUA PORTUGUESA disse...

Boa noite, meninas :-)

Não é fácil a criação de um poema em forma de acróstico, uma vez que a sua elaboração requer estudo e reflexão. Ou seja, forma e conteúdo estão obrigatoriamente subordinados a uma regra. No entanto, os vossos poemas desprendem-se das "amarras" e "voam" livremente...
Estão lindos!
Parabéns!

Sofia Castro disse...

Olá Jéssica!!
Está simplesmente LINDO!!
Beijos
Sofia 7ºB