sábado, 28 de junho de 2008

Tristeza...

Tristeza…

Tristemente, numa noite de luar,
Olhei para o meu coração despedaçado
E revoltada com a paixão
Rompi a inquietação,
Entristeci o amor,
Tornei-o negro como a minha rosa.
Interrompi a esperança
Encantei a solidão,
E cruzei o teu profundo olhar
Penetrei no teu coração partido,
E com a minha tristeza e as minhas lágrimas
Curei-o, fazendo-o rejuvenescer,
E com um leve e doce beijo teu
Fizeste renascer em mim
A alegria e o amor
Aumentaste a esperança
De que numa noite de luar te encontre assim,
Tristemente…

Sofia Castro 7ºB nº26

5 comentários:

Profª Eufémia disse...

Lindo poema, Sofia.

Cheio de sentimentos antagónicos...

O amor, por vezes, também é triste :(
Mas só às vezes :)

Profª Matilde disse...

Uma maravilha de poema, Sofia.

Queremos mais.

Prof. Tertuliano disse...

Uma excelente montagem fotográfica a enquadrar o poema.

Parabéns.

CLUBE DAS LÍNGUAS VIVAS disse...

Boa noite, Sofia :)

Está muito lindo este teu poema...

Satisfaz uma nossa curiosidade: o poema foi elaborado a partir da imagem ou, pelo contrário, a fotomontagem foi feita para ilustração do poema?

De qualquer modo, estão ambos excelentes!

Parabéns!

Anónimo disse...

O poema foi feito apartir duma inicial fotomontagem, mas depois ao juntar as duas coisas apercebi-me que havia imagens que não batiam certo com o poema e alterei a montagem.

Consegui satisfazer a vossa curiosidade??? :)

Sofia 7ºB