quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Amor é... na perspectiva de professores :-)

Amor é…

Um encontro fortuito
à espera, enquanto
no corpo houver
uma marca do tempo.

Uma química, um lamento,
um vapor, um sustento,
um cálido unguento
num corpo de mulher.

É uma chegada a correr,
uma mensagem por ler,
é uma pressa de escrever,
um parco modo de ter.

É um toque discreto,
uma voz que sussurra,
é um arfar inquieto,
um vento que empurra.

É um encontro marcado,
um lugar impreciso,
é um corpo suado,
um olhar indeciso.

Amor sem ti é dormir,
amor contigo é sonhar,
este amor a sorrir
é p’ra ti, por te amar.

Químico

2 comentários:

CLUBE DAS LÍNGUAS VIVAS disse...

Uma bela definição de Amor...

E se alguns alunos achavam que só os professores de Língua Portuguesa eram "poetas", aqui fica a prova de que estavam enganados. :-)
Palavras para quê? :-) É um professor português que não lecciona a nossa Língua Materna.

Parabéns!

Prof. Tertuliano disse...

É verdade. Algumas vezes na casa do ferreiro o espeto é de pau...

Além disso, a poesia está dentro de cada um de nós. Assim nós a saibamos encontrar.

E também há muitos(as) professores de Português que sabem...