sexta-feira, 2 de maio de 2008

O Primeiro Filho...

O PRIMEIRO FILHO

A virgem de ontem é já hoje Mãe:
O leito azul e branco do noivado
Ei-lo, em bem pouco tempo, transformado
Num berço onde existe mais alguém.

Na rósea alcova atapetada, além,
Uma velhota, ex-noiva do passado,
Beijando o pequenito com cuidado,
Diz: - Bom tempo em que eu fui assim, também.

No entanto a boa Mãe cheia de Graça,
Estende-se no leito, exausta e lassa,
Cercada duma auréola de luz.

E beijando o filhito que adormece,
Olhada assim, de súbito, parece
A Virgem Mãe a acalentar Jesus ...

António Nobre

1 comentário:

Prof. Aristides disse...

SÓ António Nobre escreveria assim...

Nascido na Foz do Douro, mesmo em frente ao mar, numa casa de onde há muito tempo desapareceu a placa que nos lembrava ter ali vindo ao mundo o poeta do "livro mais triste que se escreveu em Portugal".

SÓ o Pelouro da Cultura da C.M. do Porto é que ainda não deu por isso.
SÓ por distracção... SÓ pode...

Parabéns pela escolha !!!